Diálogo Diário de Segurança

Se você chegou até esse artigo, certamente está se perguntando o que é DDS. Pois bem, DDS é a sigla para Diálogo Diário de Segurança. Através dessa ação, são repassadas diariamente instruções que sempre ressaltam aos colaboradores como se proteger de riscos ocupacionais no cumprimento de suas atividades. 

Em outras palavras, o DDS é um exercício de boas práticas das medidas de segurança. Também vale ressaltar que ao integrar essa ferramenta no seu portfólio, você está potencializando a eficácia dos treinamentos obrigatórios. Isso porque o DDS funciona como um lembrete diário, reforçando a aprendizagem. O que pode resultar na fidelização do seu cliente. 

Então continue acompanhando esse artigo para entender de uma vez por todas o que é DDS e como você pode ajudar seu cliente a aplicá-lo na empresa. 

O que é DDS e como ele funciona? 

Similar a uma reunião, o DDS é um encontro breve que leva 5 a 15 minutos com o intuito de alinhar a rotina de trabalho do dia com os colaboradores, reforçando os EPI’s necessários e medidas de segurança. 

Por isso, vale salientar que o profissional responsável por conduzir essas reuniões de segurança não precisa necessariamente ser um técnico. Supervisores, membros do SESMT, membros da CIPA ou mesmo um funcionário bem instruído pode ministrar esses diálogos de segurança.    

Qual a vantagem do DDS para o meu cliente? 

Já imaginou conseguir evitar acidentes de trabalho em 15 minutos de diálogo? Com o DDS é possível! Além de contribuir para um ambiente mais seguro e confortável em prol de uma harmonia organizacional, a ferramenta tem por objetivo principal relembrar as medidas que vão garantir um dia de trabalho produtivo e seguro 

Isso porque muitos acidentes que ocorrem no âmbito profissional acontecem por falta de instrução adequada do uso de equipamentos ou simplesmente seu desuso. Sendo assim, quando seu cliente opta pelo DDS, ele consegue benefícios como: 

  • Redução do custo de assistência médica  
  • Aumento da produtividade e comprometimento 
  • Maior índice de satisfação dos funcionários
  • Redução do custo de acidentes 

Apesar das legislações de segurança do trabalho, o Brasil ocupa o 4º lugar no ranking mundial de acidentes de trabalho e com o novo cenário que a pandemia trouxe os índices são ainda maiores. 

Ou seja, investir em segurança do trabalho gera também economia para a empresa do seu cliente. Sendo assim, quando você sugere e auxilia na implementação de uma ferramenta que o ajude a diminuir custos, agrega valor ao seu serviço. 

Lembre-se: oferecer a solução para problemas que o seu cliente nem sabia que tinha é uma forma de se destacar no mercado. 

Você já sabe o que é DDS, mas sabe planejar um bom? 

Para boas práticas, o DDS deve ser antes de qualquer coisa, bem planejado. Já que o diálogo precisa ser breve e objetivo, separamos algumas dicas que podem te ajudar a entregar um planejamento completo para o seu cliente. Acompanhe! 

1 – Planeje 

Monte um calendário e escolha um horário que melhor se ajuste a rotina da organização e um ambiente apropriado. Procure não se estender por mais de 15 minutos e esteja alinhado com o propósito da reunião. 

 2 – Conheça o público 

Entenda o público para que possa conversar de igual para igual. Transmitir uma mensagem é mais do que apenas passar informações, ela precisa ser compreendida pelos ouvintes. No entanto, use uma linguagem simples e clara. 

3 – Escolha bons temas 

Faça pesquisas, leve em consideração o segmento da empresa e colha informações de fato relevantes e que sejam atuais. Traga cases, exemplos que possam ser visualizados e transmita uma mensagem efetiva. 

4 – Prepare um material rico 

Invista em reuniões dinâmicas: busque trabalhar infográficos, vídeos, explore diferentes formatos. Elabore um material interessante para endossar o DDS, que possa ser mantido pelo seu cliente e revisto em outras ocasiões. 

5 – Formalize as reuniões 

Isso mesmo! Embora sejam reuniões curtas, busque documentar o exercício de DDS prestado pela empresa. Catalogue fotos, recolha assinaturas, formalize relatórios e os mantenha guardados. 

Em adendo as boas práticas de DDS, instrua seu cliente para que ele também procure: 

  • Checar a qualidade dos EPI’s e demais equipamentos. 
  • Fazer relatórios com informações colhidas direto do ambiente onde o trabalho é realizado. 
  • Fiscalizar o uso dos EPI’s. 

Por que investir em DDS, se não é obrigatório? 

O DDS não é exatamente obrigatório, mas agora que você compreende o que é DDS e os benefícios de integrar essa boa prática a rotina de uma organização, aposto que está achando bem relevante, né? 

Porém, apesar do DDS não ser obrigatório ou formalizado por lei, existem algumas normas que fazem a menção a esse exercício de diálogo. São elas: 

  • NR 1. 
  • NR 9. 
  • NR 6. 

Estar em conformidade com essas normas regulamentadoras é evitar uma enorme dor de cabeça., Afinal de contas, ninguém quer levar uma multa ou ter partes de sua empresa interditadas pela não conformidade, né?